terça-feira, junho 19

Índios usam caminhonete do Ibama para ocupar fazendas do Pantanal

Um grupo de indígenas da etnia kadiwéu ocupou pelo menos seis propriedades rurais de Corumbá, na região do Pantanal de Mato Grosso do Sul, desde a última quarta-feira, dia 22 de novembro. Para as ações, eles usaram uma caminhonete da Prevfogo, um programa de redução de incêndios florestais do Ibama.

A Fundação Nacional do Índio (Funai) e o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) não atendeu às ligações do portal G1.

O coordenador do Ibama do estado, Márcio Yule, explicou que há dois veículos no estado do programa, um na região norte e outro no sul, para serem utilizados em combate de incêndios florestais. A caminhonete usada nas ocupações fica com os indígenas dentro da reserva. Mas já foi feito o contato para ser devolvida.

O advogado da Fazenda Alves de Barros vai à Polícia Federal de Corumbá nesta sexta-feira (24) para registrar o fato.

As propriedades ocupadas ficam envolta da reserva indígena kadiwéu. A disputa entre índios e produtor rural começou em 1984, três anos após a demarcação da terra-indígena pela Funai que incluiu 140,9 hectares a mais à área doada pelo governo federal aos índios, em 1903, como forma de agradecimento por terem lutado na Guerra do Paraguai.

Os fazendeiros começaram a reivindicar essa área na região de Corumbá, Miranda e Bodoquena alegando que já havia títulos da terra. A briga foi parar na justiça. A ação chegou a ficar parado por 25 anos no Supremo Tribunal Federal (STF) e depois desse tempo o ministro Celso de Mello declinou competência e determinou envio do processo à justiça estadual. Desde 2012 a ação tramita na 2ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande.

Fonte: Dourados News

Obrigado pela sua participação!