terça-feira, agosto 21

Pesquisadores criam papel digitalizadora

Estar na escola ou na faculdade é sinônimo de precisar anotar inúmeros conteúdos importantes para não deixar nada de fora. Porém, convenhamos: passar essas anotações a limpo no computador não é uma tarefa muito bacana, né? Não seria muito mais fácil se fosse possível digitalizar o conteúdo direto da folha em que ele fora anotado?

Para ajudar nessa questão, os pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon desenvolveram uma espécie de papel que é sensível ao toque, de modo que as anotações são digitalizadas para o computador no instante em que são feitas. Assim, este tipo especial de papel pode detectar toques tanto de instrumentos de escrita quanto dos dedos, de modo que o processo de digitalização é transformado.

À primeira vista, o papel criado parece simplesmente uma folha daquelas que você tem em casa, porém, o diferencial está no material condutor que é aplicado na parte de trás da folha. Os pesquisadores se esforçaram para encontrar um material que fosse barato o suficiente para ser aplicado em um volume de alta produção, de modo, o material utilizado foi carbono em variadas aplicações na folha. Por fim, basta conectar sensores à folha para que o papel se torne sensível ao toque – seja ele de um dedo, de uma caneta, de um lápis ou de uma stylus.

“Mas já existem produtos assim”, você deve ter pensado. Bom, isso é verdade, mas é aí que está o diferencial do papel feito pelos pesquisadores: neste papel, qualquer conteúdo será digitalizado e, além disso, o custo de produção de cada folha digitalizadora é de menos de 30 centavos! Caso o produto seja feito em larga escala, os pesquisadores acreditam que o preço pode ficar ainda menor. Nada mau, né?

Obrigado pela sua participação!