sexta-feira, setembro 21

Pelo menos 3 pessoas já foram presas durante a Operação Grãos de Ouro

Dos 32 mandados de prisão cumpridos durante a Operação Grãos de Ouro, deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) na manhã desta quarta-feira (8) em sete Estados, pelo menos três pessoas já foram detidas em Campo Grande.

Dos três presos, dois deles foram levados logo cedo para a Depac Centro e um terceiro para a Depac Piratininga. Nas delegacias os detidos apenas cumpriram trâmites burocráticos da prisão e já foram encaminhados para o Imol e, em seguida, para presídios da Capital.

O delegado Rodrigo Camapum, da Depac Centro, afirmou à reportagem que os nomes dos presos são mantidos em sigilo, já que o processo de investigação do Gaeco tramita em segredo de justiça. A expectativa nas Depacs é que novas prisões possam acontecer ao longo do dia.

Operação

O Gaeco deflagrou hoje a Operação Grãos de Ouro, que cumpre 32 mandados de prisão preventiva e cumprimento de 104 mandados de busca e apreensão nos Estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso.

De acordo com o Gaeco do MP-MT (Ministério Público de Mato Grosso), a operação mira combate à sonegação fiscal, praticada, segundo a imprensa mato-grossense, por meio empresas de compra e venda de grãos. Em Cuiabá, um dos alvos teria sido a empresa Efraim Agronegócios que negocia soja, cujo escritório é localizado no edifício comercial SB Tower, na avenida do CPA. Além disso, um mandado de prisão estaria sendo cumprido em condomínio de luxo na capital de Mato Grosso. (Campo Grande News)

Força-tarefa contra sonegação tem 13 alvos de mandados de prisão em MS

Dentre os presos, há duas mulheres, segundo a Agepen; Gaeco mira os integrantes do esquema envolvendo a produção de grãos, principalmente a soja, em 7 Estados

Dos 32 mandados de prisão, 13 são contra pessoas investigadas por praticarem sonegação de imposto. O Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) deflagrou na manhã desta quarta-feira (8) a Operação Grãos de Ouro, que mira os integrantes do esquema envolvendo a produção de grãos, principalmente a soja, em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul.

Dentre os presos, há duas mulheres, segundo a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), órgão que está em busca das 13 vagas no sistema carcerário, duas dela em presídios femininos. De acordo com a Diretoria de Operações da Agepen, “está sendo realizada a análise de distribuição dessas vagas”.

Um dos presos da Operação Grãos de Ouro é o empresário Siloé Rodrigues de Oliveira, dono da Forte Corretora de Cereais.

A operação – Equipes de promotores e policiais militares foram às ruas dos sete Estados para cumprir também 104 de busca e apreensão.

Marcos Antônio Silva de Souza, conhecido como Marcão, de 50 anos, foi alvo de mandado de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira (8), mas não teve a prisão preventiva decretada. Ele é servidor da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

Também nesta manhã, o Gaeco e a Casa de Leis divulgaram nota de esclarecimento sobre a presença de uma das equipes da operação na Casa de Leis. “Em razão das notícias veiculadas sobre operação ‘Grãos de Ouro’, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul tem a esclarecer que não é alvo da investigação e, igualmente, nenhum parlamentar”, diz a nota enviada pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). (CGNews)

Obrigado pela sua participação!