sexta-feira, setembro 21

Lupa confirma: autor do ataque nunca foi do PDT ou do PT

Ele foi filiado ao PSOL até 2014

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, foi esfaqueado na tarde desta quinta-feira (6), durante um ato de campanha na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Bolsonaro recebe atendimento no município, e a Lupa checa em tempo real informações que circulam em redes sociais e sites sobre o ataque contra o presidenciável.

Esta publicação, que faz parte do projeto de verificação de notícias, poderá ser atualizada ao longo das próximas horas.

“O suspeito [de esfaquear de Bolsonaro] seria José Adélio Bispo de Oliveira, filiado ao PDT mineiro”

De acordo com informações oficiais, o nome do homem que foi preso em flagrante por esfaquear Jair Bolsonaro é Adélio Bispo de Oliveira – não José Adélio.

José Adélio Bispo de Oliveira, que aparece nas notícias analisadas, é de fato filiado ao PDT de Minas Gerais, mas não é o homem preso pela agressão a Bolsonaro. Trata-se apenas de um homem com nome muito parecido.

Uma consulta ao site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revela que Adélio foi filiado ao PSOL do município de Uberaba, em Minas Gerais, de 2007 a 2014, ano em que pediu a desfiliação da legenda. A Lupa conferiu o título de eleitor informado na relação do PSOL, e ele confere com os documentos divulgados pela Polícia Militar de Minas Gerais.

Em nota, o presidente do PSOL, Juliano Medeiros, afirmou que o partido não deve responder pelo ex-filiado que atacou Bolsonaro. “Queremos que ele seja julgado no rigor da lei. Parece que é uma pessoa bem confusa. Se fosse ligado ao PSOL, seria minha responsabilidade. Como não é filiado, não acho que seja da nossa alçada”, disse. Anteriormente, o partido havia repudiado a agressão ao candidato e afirmado que se tratava de um grave atentado à normalidade democrática.

A Lupa alertou os sites analisados. O Metrópoles alterou a informação.


Circula na internet foto que mostra Jair Bolsonaro entrando a pé num hospital acompanhada de legenda que levanta suspeita sobre o ataque cometido contra o presidenciável na tarde de hoje.

A imagem analisada pela Lupa foi feita na manhã desta quinta-feira (6), quando Jair Bolsonaro fazia campanha em um hospital filantrópico da Associação Feminina de Prevenção e Combate ao Câncer de Juiz de Fora (Ascomcer). Em seguida, ele foi a um hotel para um almoço com empresários locais. O registro não foi feito, portanto, após o atentado sofrido pelo presidenciável na parte da tarde.

Segundo o jornal Tribuna de Minas e o UOL, a ida de Bolsonaro à Ascomcer nesta manhã foi marcada por tumulto.


“Adélio Bispo de Oliveira é o nome de quem tentou matar Jair Bolsonaro em Juiz de Fora. Ele é filiado ao Partido dos Trabalhadores”
Informações divulgadas por sites como Blog do Vava LuzBlog do Cleuber Carlos e 1News.com

O homem que esfaqueou Bolsonaro nunca foi filiado ao PT. Entre 2007 e 2014, ele foi membro do PSOL.

Obrigado pela sua participação!