qua. out 16th, 2019

Câmara aprova lei e Dourados pode ter Cartão de Vacinação Eletrônico

Credito: A.Frota

A prefeita Délia Razuk (PL) deve receber nos próximos dias para sancionar ou vetar uma lei que cria em Dourados a Carteira de Vacinação Eletrônica. Já aprovada pela Câmara de Vereadores em segunda e última votação, essa nova legislação tem por objetivo tornar o sistema de imunização do município mais ágil, moderno e eficiente.

A medida prevê que seja criado um banco de dados on-line de livre acesso aos usuários e às Unidades Básicas de Saúde. Além de proporcionar maior agilidade na hora da vacinação de crianças e adultos na Rede Pública de Saúde de Dourados, a Carteira de Vacinação Eletrônica deve substituir a carteirinha atual, que costuma ficar deteriorada com o tempo e dificulta a vida de pacientes e profissionais de saúde.

“Com a criação do cartão eletrônico, os dados dos usuários que foram vacinados deverão ser salvos em um banco de dados eletrônico, evitando qualquer confusão ou transtorno para saber se aquele paciente já recebeu determinada vacina ou não. Ao longo da vida das crianças, acontece de muitos pais perderem estes cartões de papel, o que dificulta o controle por parte da saúde do município e dos próprios pais”, justificou a autora do projeto de lei, vereadora Lia Nogueira (PL).

Outra vantagem apontada com a nova lei diz respeito à economia, com compra de vacinas mais racionalizadas e menor volume na confecção de cartões de papel.  “As duas partes vão sair ganhando, o município economizando e os usuários da Rede Pública de Saúde que vão manter sua imunização em dia e terão um histórico de suas vacinas arquivado digitalmente com segurança. Creio que será uma excelente ferramenta para o município dentro de uma política de contenção de gastos, de eficiência e humanização. Acredito na sensibilidade e na visão de gestora moderna e comprometida com a população da prefeita Délia, em tornar o projeto lei municipal. Quem vai ganhar com isso é a cidade”, defendeu a autora do projeto de lei.

Mais  Asfixia financeira imposta por Bolsonaro ameaça pesquisas de ponta

Fonte: Douradosnews