qua. out 16th, 2019

Inteligência Artificial bate humanos em teste de compreensão de texto

O programa desenvolvido obteve pontuação recorde e mostra como as máquinas estão melhorando na compreensão de linguagem natural

Um programa de Inteligência Artificial (IA) desenvolvido pelo Alibaba obteve uma pontuação recorde em um teste de compreensão de leitura, e o resultado mostra como as máquinas estão melhorando constantemente no processamento de texto e fala. O modelo da empresa superou as pontuações humanas quando testado pelo conjunto de dados Microsoft Machine Reading Comprehension (MS Marco), um dos mais desafiadores para a compreensão de leitura do mundo da IA.

Desenvolvido por cientistas da Academia DAMO – programa de pesquisa global da Alibaba -, o modelo obteve 0,54 na tarefa de responder perguntas do MS Marco, que avalia a capacidade de uma máquina de usar a linguagem natural – o modo como os humanos se comunicam – para responder questões reais. Isso superou a pontuação humana de 0,539, obtida em um benchmark fornecido pela Microsoft. Para que isso fosse possível, o programa precisou de um tempo para ser elaborado, uma vez que leu milhares de páginas da Web para saber responder o que estava sendo perguntado.

Essas habilidades estão se tornando cada vez mais importantes para máquinas graças à crescente popularidade de tecnologias inteligentes. Perguntas e respostas realistas ajudam os sistemas de treinamento a “lidar melhor com as nuances e complexidades que as pessoas comuns realmente fazem, incluindo aquelas que não têm uma resposta clara ou tem mais de uma possível”, disseram os desenvolvedores da MS Marco em um post no blog.

A equipe do Alibaba desenvolveu uma técnica que basicamente remove textos irrelevantes antes de tentar responder o que está sendo questionado. Com uma melhor compreensão da linguagem, a empresa consegue melhorar os chatbots e assistentes virtuais que oferecem suporte a pequenos varejistas, diz Lou Si, vice-presidente da DAMO e lider da equipe que desenvolveu o novo algoritmo.

Mais  EUA conduziram ataque cibernético secreto contra o Irã

Ela acrescenta que essa técnica será uma parte fundamental das ofertas da empresa e poderá até ajudar a derrubar as barreiras linguísticas entre os diferentes negócios. Embora tenha se saído bem nos testes, o novo algoritmo não oferece “melhor compreensão de leitura do que os humanos” em todos os aspectos.

“Ainda há uma longa jornada à nossa frente para que as máquinas usem a linguagem tão livremente quanto os humanos”, diz Li. “Na maioria das vezes, as máquinas respondem a perguntas baseadas em fatos recuperados dos documentos, mas não possuem habilidades de raciocínio … Isso é diferente de como as pessoas usam a linguagem”.

Fonte: Olhar Digital