seg. ago 26th, 2019

Para alguns alunos de Dourados, o futuro da Educação já é realidade

Alunos construindo robôs, programando-os para missões fictícias no espaço e participando de feiras científicas que reúnem estudantes e projetos de pesquisa do mundo todo. Parece coisa do futuro, não é? Mas isso já é realidade na rotina dos alunos da Escola SESI, de Dourados. E estas são apenas algumas das inovações que a escola traz para tornar o aprendizado algo prazeroso para os alunos, além de prepará-los para as múltiplas exigências que mercado de trabalho espera do profissional.

A escola trabalha com um equilíbrio entre os tradicionais métodos de ensino – que envolvem a preparação para vestibulares das melhores universidades Brasil afora – com o diferencial da educação tecnológica condizente tanto aos hábitos do jovem de hoje, que não deixam a internet e os games de lado, quanto com a realidade das grandes empresas.

Presente em sete cidades do Estado – Campo Grande, Três Lagoas, Aparecida do Taboado, Maracaju, Naviraí, Dourados e Corumbá – a Escola SESI sempre esteve em busca de novas tecnologias e abordagens. E hoje, quando a oferta por matérias como Informática e Robótica nas escolas é bastante presente, a instituição de ensino se posiciona com a maturidade de quem já investe em novidades como essas há tempos.

“A Escola SESI trabalha com métodos inovadores de ensino que envolvem a Robótica, Programação e outras tecnologias, tornando o aprender algo que prende a atenção do aluno, porque a dinâmica da sala de aula está em consonância com os interesses dos jovens de hoje”, afirma a Diretora da Escola SESI Dourados, Sibele Aparecida Silva.

A Gerente de Educação do Sistema FIEMS, do qual a Escola SESI faz parte, Simone Cruz, acrescenta que a escola que não enxergar a revolução tecnológica pela qual a sociedade está passando ficará para trás. “Estamos cientes e bastante satisfeitos em dizer que estamos provocando uma quebra de paradigma na Educação. No futuro, não teremos apenas médicos, engenheiros, advogados e administradores. As crianças que estudam hoje vão trabalhar em profissões que ainda não existem, então, a gente não pode mais continuar dando aula como era antigamente, como nós e nossos pais estudamos”, atesta.

Mais  Mulher morre ao ser atropelada por Fiorino em avenida

 

Iniciação Científica e Empreendedorismo

E a inovação não para na Robótica e Programação, ferramentas que são aliadas de várias matérias como Matemática, Geografia e Inglês. O aluno da Escola SESI também tem acesso ao universo científico desde cedo. Nas aulas de Iniciação Científica, os alunos são estimulados a pensar, defender teses e criar projetos de pesquisas como se fossem jovem cientistas. Isso faz com que eles ingressem na faculdade familiarizados com a linguagem e referências técnicas exigidas nos trabalhos científicos.

Existe, ainda, de maneira bem pronunciada, a preocupação em preparar o aluno para ser capaz de transformar todo esse conhecimento em algo prático e bastante valorizado no mercado de trabalho. Por isso, a partir do 6º ano do Ensino Fundamental, os alunos são incentivados a empreender e têm na grade curricular fixa a disciplina de Empreendedorismo.

“O objetivo da Escola SESI é proporcionar uma Educação que prepare o aluno para o mercado. Diversos programas são desenvolvidos para despertar no jovem uma cultura empreendedora, em parceria com o Sebrae, que é referência no tema, além dos elaborados pelo IEL, voltados para estimular os alunos a usarem suas habilidades”, afirma a Diretora Sibele.

Além destes fatores, vale destacar os ambientes diferenciados que funcionam como salas de aulas – são espaços altamente tecnológicos, que despertam e estimulam o protagonismo e o interesse do aluno pelo aprender.

Em Dourados, a Escola SESI está com as matrículas abertas para Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio, com mensalidades a partir de R$ 445,68. Para conhecer melhor tudo isso, acesse www.aescoladofuturo.com.br, ligue 0800 723 7374 ou faça uma visita à Escola SESI que fica na Rua Waldomiro de Souza, 290.

Fonte: Dourados News

Sobre este editor

Carlos Telles
Minhas últimas notícias
Mais  Vaca sobrevive 90 dias com coração artificial