dom. set 15th, 2019

Bolsonaro diz não acreditar nos resultados do Datafolha

Foto: Adriano Machado/Reuters

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) ironizou a pesquisa Datafolha que mostrou que 70% dos brasileiros reprovam a ideia do mandatário de indicar seu filho para a embaixada brasileira em Washington.

O levantamento foi publicado nesta quarta-feira (4) e mostrou também que apenas 23% consideram que o presidente está agindo bem ao nomear o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para chefiar a missão diplomática do Brasil nos Estados Unidos.

“Pelo Datafolha eu não sou presidente”, rebateu Bolsonaro, ao deixar o Palácio da Alvorada. “Eu acredito mais em mula sem cabeça, saci-pererê e Papai Noel do que no Datafolha. Não tem mais graça falar em Datafolha aqui. Datafolha não, Datafake”, afirmou o presidente.

Apesar das declarações do mandatário de que, segundo o Datafolha, ele não seria presidente, a última pesquisa do instituto antes do segundo turno das eleições do ano passado apontou a vitória de Bolsonaro, com 55% dos votos válidos, ante 45% de Fernando Haddad (PT) —​mesmos índices do resultado final.

Jair Bolsonaro anunciou que indicaria Eduardo para a embaixada em Washington em julho, mas até hoje não formalizou o ato. Existe o temor entre auxiliares do presidente de que o nome do deputado federal enfrente resistência entre os senadores, que precisam avalizar a indicação.

Após a formalização da nomeação, Eduardo precisa se submeter a uma sabatina na Comissão de Relações Exteriores do Senado e a duas votações. Uma no colegiado (de caráter consultivo) e outra no plenário da Casa.

Segundo o Datafolha, a indicação de Eduardo sofre alta rejeição em praticamente todos os estratos pesquisados, com exceção dos simpatizantes do PSL (64% de apoio) e entre os que classificam o governo Bolsonaro como ótimo/bom (54%).

A visão contrária à indicação é maior entre os jovens de 16 a 24 anos (74%), funcionários públicos (81%) e estudantes (78%).

Mais  Celso Amorim alerta para risco de guerra no continente

​A pesquisa foi feita entre os dias 29 e 30 de agosto e ouviu 2.878 pessoas em 175 municípios de todo o país. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Para vencer a oposição a seu nome, Eduardo Bolsonaro tem argumentado que desfrutará, caso seja confirmado embaixador, de um acesso inédito ao entorno do presidente dos EUA, Donald Trump.

O deputado federal, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, já foi elogiado publicamente por Trump.

Na sexta-feira (30), Eduardo viajou aos EUA e se reuniu durante 30 minutos com o mandatário americano na Casa Branca.

Da FSP

Fonte:Blog da Cidadania