dom. set 15th, 2019

Delegado da PF diz que, com Bolsonaro, Brasil corre o “perigo de virar uma Venezuela”

Carla Zambelli e o delegado Luciano Leiro | Reprodução/Facebook

“Se continuar nesse ritmo, o perigo é virar uma Venezuela. Lá também foi assim, interferindo e esvaziando as instituições”, declarou o delegado Luciano Leiro, vice-presidente da Associação dos Delegados da Polícia Federal

A decisão do presidente Jair Bolsonaro de nomear o Procurador-Geral da República que mais lhe agradou – Augusto Aras – e de interferir nos rumos da Polícia Federal tem feito antigos adoradores do ex-capitão temerem a escalada autoritária promovida por Bolsonaro. Comparações coma Venezuela, temida por muitos dos bolsonaristas por representar uma antítese do projeto conservador, começaram a surgir de antigos aliados.

“Antes havia o temor de que a PF passasse de polícia de Estado para polícia de governo. Agora, o risco é de virar uma polícia do presidente. Se continuar nesse ritmo, o perigo é virar uma Venezuela. Lá também foi assim, interferindo e esvaziando as instituições”, declarou à Revista Época nesta sexta-feira o delegado Luciano Leiro, vice-presidente da Associação dos Delegados da Polícia Federal (ADPF).

Leiro foi candidato à deputado federal pelo ex-PPS (atual Cidadanio) no Distrito Federal, mas não conseguiu se eleger. Ele esteve presente na posse do ex-juiz federal Sérgio Moro como Ministro da Justiça e comemorou a nomeação dele e de Maurício Valeixo, diretor da PF. Ele exalta Moro nas redes sociais e também possui fotos com a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), quem considera “grande defensora” da PF.

A Venezuela foi usada por Jair Bolsonaro como um exemplo negativo durante a campanha eleitoral. O país, que vive sob embargo do governo dos Estado Unidos por ter uma postura de defesa da soberania nacional, passa por uma crise social e política.

Fonte: Revista Fórum

Sobre este editor

Carlos Telles
Minhas últimas notícias
Mais  Adolescente é apreendida após tentativa de tráfico de drogas de MS ao MT