seg. nov 18th, 2019

Nubank quer oferecer pagamentos instantâneos até 2020

Fabrício Filho, editado por Liliane Nakagawa

Fintech trabalha com Banco Central para desenvolver regulamentação; aprimoramento do sistema de pagamentos com NFC e transferências por QR Code gerado por pagador virá em 2021

Nubank, maior fintech brasileira da América Latina, está trabalhando junto ao Banco Central para  desenvolver a regulamentação de pagamentos instantâneos. Após o Fórum de Investimentos Brasil 2019, o sócio fundador da empresa, David Vélez, falou sobre as ambições do projeto e a aceitação de clientes e estabelecimentos.

O Banco Central estuda a implantação de um sistema de transferência mais rápido desde 2018. Vélez afirmou que o Nubank está contribuindo para isso, oferecendo informações para agilizar o processo de regulamentação. “Existe muito argumento de tecnologia, segurança, tarifas. Por outro lado, temos uma estratégia de produto para desenvolvermos internamente nossos pagamentos instantâneos”, afirmou.

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, disse que o novo sistema de pagamentos é um terreno fértil para as fintechs, além de diminuir o custo de intermediação financeira no Brasil e a circulação de dinheiro, que beneficia a autoridade monetária. “Os pagamentos instantâneos vão trazer uma grande revolução no Brasil juntamente com as outras medidas que o BC vem tomando, open banking, por exemplo”.

O planejamento indica que, até o fim de 2020, o sistema deverá liberar o pagamento instantâneo pelo QR Code. A partir de 2021, além do pagamento por aproximação (NFC) e MST (Magnetic Secure Transmission), as transferências poderão ser feitas por meio de um QR Code gerado pelo próprio pagador. A nova infraestrutura estará disponível 24 horas por dia e todos os dias do ano. Ao entrar em vigor, os estabelecimentos precisarão apenas de um código, que será lido pelos smartphones dos clientes.

Fonte: Olhar Digital

Mais  Negócios em São Paulo para o boi China chegam aos R$ 200,00/@, à vista e livre de impostos