sex. nov 15th, 2019

Em convulsão social, Chile é principal destino da carne bovina de MS

AGRONEGÓCIO Em convulsão social, Chile é principal destino da carne bovina de MS 21 outubro 2019 - 08h35Por André Bento Carne bovina exportada para o Chile rendeu US$ 101 milhões à economia de MS - Crédito: Kelly Ventorim/Divulgação

Em convulsão há pelo menos três dias por causa de protestos contra o aumento nos preços das passagens do metrô, que motivaram a presença do Exército nas ruas, o Chile é quem mais compra a carne bovina produzida em Mato Grosso do Sul. Desde o início do ano, foram 25.432.049 quilos, resultante em US$ 101 milhões à economia estadual.

O valor obtido apenas com esse vizinho sul-americano representa 20,79% da receita total sul-mato-grossense com a commodity, conforme o mais recente boletim casa rural da Famasul, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado.

Segundo o levantamento, que usa dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Mato Grosso do Sul exportou 15,4 mil toneladas de carne bovina no mês passado, com faturamento de US$ 57,3 milhões. No comparativo com igual período de 2018, houve aumento de 6,08% em relação ao volume, mas a receita ficou 0,73% abaixo.

Contudo, a Famasul destaca que “no acumulado dos nove meses de 2019 as vendas para o mercado externo totalizaram 133,4 mil toneladas e receita de US$ 489,6 milhões, representando alta de 40,1% no volume e 23,9% na receita em relação ao igual período de 2018 quando foram vendidas 95,2 mil toneladas com faturamento de US$ 395,1 milhões”.

DESTINOS

Depois do Chile, o segundo principal destino da carne bovina produzida no Estado, 4º maior exportador nacional, é Hong Kong, território autônomo da China que comprou 20.294.570 quilos e pagou US$ 66.6 milhões de janeiro a setembro deste ano.

Na lista divulgada pela Famasul constam ainda os Emirados Árabes Unidos, que pagaram US$ 50.3 milhões por 14.229.986 quilos, o Egito, US$ 40.4 milhões por 13.077.343 quilos, o Irã, US$ 39.7 milhões por 11.415.805 quilos, e a Arábia Saudita, US$ 36.2 milhões por 10.408.187 quilos.

Mais  Lula: as portas do Brasil estarão abertas para que eu possa percorrer este país

Além disso, é detalhado que o Uruguai importou 7.916.574 quilos por US$ 29.2 milhões, Israel, 4.187.647 quilos por US$ 19.4 milhões, Líbano, 3.600.893 quilos por US$ 16.4 milhões, e Itália, 1.868.404 quilos por US$ 10.6 milhões.

ABATES

Para garantir esse volume de exportações, Mato Grosso do Sul abateu 2,7 milhões de animais nos primeiros nove meses de 2019, revela a Famasul, citando dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Isso representou alta de 11,94% em relação aos 2,4 milhões de animais abatidos em igual período de 2018. E a produção de carne aumentou 12,15 %, superando 702 mil toneladas nos nove meses deste ano.

“O abate de fêmeas, em Mato Grosso do Sul, foi próximo a 1,3 milhão de cabeças no período de janeiro a setembro de 2019, alta de 14,09% em relação às 1,1 milhão de cabeças abatidas em igual período de 2018. Constata-se que a participação de fêmeas no abate foi 47%, índice superior ao igual período de 2018 que foi 46%.foi 47%, índice superior ao igual período de 2018 que foi 46%”, detalha o boletim casa rural.

Fonte: Dourados News