A universidade que renasce dos destroços deixados pelo ‘Estado Islâmico’ no Iraque

A Universidade de Mossul, no Iraque, está reconstruindo seu campus e sua comunidade acadêmica após sobreviver a um período de trevas.

O local foi ocupado, durante mais de dois anos, pelo grupo extremista autodenominado Estado Islâmico – e mantido sob um regime de perseguição e terror.

Após uma experiência tão traumática, e da destruição causada pela batalha para retomada da cidade, ainda há muito a ser feito.

“A biblioteca central ainda parece um pedaço de carvão”, diz Ashraf Riadh Al-Allaf, professor sênior do departamento de inglês da universidade.

Estudantes yazidis retornam

Segundo ele, o que chegou a ser um dia uma das maiores bibliotecas do Oriente Médio pegou fogo, e os principais prédios administrativos foram “completamente destruídos”.

Ainda há escombros a serem removidos, diz Al-Allaf, mas os alunos estão de volta – e os acadêmicos estão reconstruindo o relacionamento com a comunidade internacional.

Há um projeto em desenvolvimento com a Universidade de Lancaster, na Inglaterra, em que a instituição britânica compartilha conhecimento e tecnologia online com seus colegas iraquianos.

A Universidade de St. Andrews, na Escócia, realizou um “dia de doação de multas da biblioteca” nesta semana – o dinheiro das multas será doado à organização Book Aid International para enviar livros à Universidade de Mossul.

Notícias parecidas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *