ter. fev 19th, 2019

BNDES começa a abrir “caixa-preta”

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) parece ter começado a abrir a chamada “caixa-preta” de seus negócios. A medida faz parte de uma das promessas do presidente Jair Bolsonaro, que assumiu o cargo no início do mês, e é apoiada por suspeitas de utilização do banco como instrumento político e de corrupção.

O banco afirma que as informações já estavam disponíveis no site, mas estavam fragmentadas, separadas em diversas seções e categorias. Com o compilado, o objetivo é facilitar o acesso dos cidadãos aos dados.

“A disponibilização da lista, com acesso a um grande número de detalhes de cada operação, é parte do esforço de transparência que o Banco tem feito e que deve ser a marca das suas ações sempre”, explica o banco em uma nota divulgada nesta sexta-feira.

BNDES

O banco foi criado em 1952, durante o governo de Getúlio Vargas, e tem como objetivo ajudar a financiar o desenvolvimento da economia no país. Na prática, isso significa que ele oferece empréstimos de longo prazo e com taxas mais baixas a empresas e governos.

Em novembro de 2018, logo após o resultado das eleições, Bolsonaro declarou que uma de suas prioridades era abrir os sigilos do banco. “É o dinheiro do povo e nós temos que saber o que está sendo usado”, declarou. “Firmo o compromisso de iniciar o meu mandato determinado a abrir a caixa-preta do BNDES e revelar ao povo brasileiro o que foi feito com seu dinheiro nos últimos anos. Acredito que esse é um anseio de todos”, escreveu Bolsonaro, no Twitter”.

Suspeitas

No ano passado, o banco foi alvo de investigações da Polícia Federal, que acabou indiciando os ex-ministros Guido Mantega e Antônio Palocci, o ex-presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e Joesley Batista por suspeitas de operações ilícitas.

Mais  Governo de Jair Bolsonaro vê Igreja Católica como potencial opositora

Confira na lista abaixo com os 50 maiores credores do banco de todos os tempos:

Beneficiários

A empresa que mais pegou empréstimos com o banco em sua história é a Petrobras. Ao todo, foram R$ 62,4 bilhões de reais. O segundo lugar fica com a Embraer, que obteve, a juros menores, R$ 43,3 bilhões, a Norte Energia, com R$ 25,3 bilhões, e a Vale, que obteve R$ 24,8 bilhões.

Entre os listados entre os maiores beneficiários também aparecem a Oderbrecht, empresa envolvida em uma série de investigações por corrupção, a JBS, também citada, e a Braskem, companhia do grupo da Oderbrecht. Os valores somam dezenas de bilhões de reais.

Fonte: Yahoo

Notícias parecidas