sex. mar 22nd, 2019

Brasil e EUA têm 32% de todas as mortes por armas no mundo

Three pistols

O Brasil lidera um ranking ingrato: somos o país com o maior número de mortes por armas de fogo no mundo. Somando o número de homicídios e suicídios do tipo com os dados dos Estados Unidos, os dois países representam 32% do total mundial.

O número é do Global Burden of Disease, um projeto que reuniu 3.600 pesquisadores de 145 países para compilar e analisar dados de 2016. No Brasil, houve mais de 43 mil mortes por arma de fogo naquele ano; 94% delas, homicídios. Os EUA contabilizaram 37 mil óbitos, mas lá a maior causa é o suicídio, que representa 64% das mortes.

E o problema parece só piorar. Em dezembro de 2018, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA divulgaram um relatório sobre as causas de morte no país. O estudo revelou que a taxa de mortes por arma de fogo aumentou pelo terceiro ano consecutivo.

Ela está em 12 mortes a cada 100 mil habitantes, algo que não acontecia no país há mais de vinte anos. A proporção de suicídios se manteve, e a maioria deles é de homens brancos. No caso dos homicídios, as vítimas são predominantemente homens negros.

A questão das armas de fogo, da posse e do porte delas é tema de discussão nos Estados Unidos após as dezenas de casos de atiradores em locais públicos, como ruas, escolas, igrejas e shows. Em março do ano passado, mais de 1 milhão de pessoas foram às ruas (inclusive em frente ao Consulado americano em São Paulo) pedir leis mais rígidas de controle de armas.

No Brasil, a discussão também está nos jornais e nas redes sociais. Na última terça (8), o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, declarou que o presidente Jair Bolsonaro planeja editar na próxima semana um decreto para flexibilizar a posse de armas no país. Facilitar a compra de armas foi uma das principais bandeiras da campanha de Bolsonaro.

Mais  Aumentar tempo de contribuição para se aposentar vai prejudicar mais as mulheres, diz Ipea

Porte ou posse?

Se você já se deparou com essas duas expressões, saiba que elas não significam a mesma coisa. De acordo com a legislação brasileira, posse de arma é o direito de manter armas em casa; já o porte diz respeito a andar armado.

Mas não é tão simples assim. No Brasil, o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826) foi criado em 2003 e regulamentou esses dois conceitos. De acordo com ele, o porte de armas é estritamente proibido (salvo para exceções como policiais, empresas de segurança privada, etc.) e a pena para quem descumprir isso é de dois a quatro anos de prisão.

Já a posse é permitida caso sejam cumpridos alguns requisitos, como a ausência de antecedentes criminais, domicílio fixo e aptidão física e psicológica. Antes da lei, era mais fácil adquirir armas por aqui. Elas podiam ser encontradas em lojas especializadas em tiro esportivo.

Na época que o estatuto foi aprovado, a taxa de assassinatos estava em 36 para cada 100 mil habitantes. Hoje, ela é de 30,3. Em 2015, um relatório do Mapa da Violência mostrou que a lei salvou mais de 160 mil vidas – 113 mil apenas de jovens de 15 a 29 anos.

Fonte: MSN

Sobre este editor

Maryone Azevedo
Trabalhando para trazer a verdade ao público!

A verdadeira informação é a salvação de uma nação livre de injustiças!
Minhas últimas notícias
Mais  Aumentar tempo de contribuição para se aposentar vai prejudicar mais as mulheres, diz Ipea

Notícias parecidas