seg. mar 18th, 2019

‘Caso Daniel’: Suspeito diz que Cristiana não acusou Daniel de estupro

O último suspeito de participar do assassinato de Daniel Corrêa depôs nesta segunda (12) e afirmou que Cristiana Brittes, prima de sua namorada, não acusou ter sido estuprada pelo jogador antes da morte dele.

Eduardo da Silva, de 19 anos, foi preso na semana passada em Foz do Iguaçu (PR) e foi chegou a São José dos Pinhais, onde o crime está sendo investigado, na última sexta (9).

Ele estava em um dos quartos da casa enquanto Edison Brittes, o ‘Juninho Riqueza’, espancava Daniel e foi procurado por Cristiana para tentar evitar que isso acontecesse. Segundo seu depoimento, ela teria falado “ajuda o piá, que o Júnior está batendo nele porque ele estava mexendo em mim… Não deixa o Júnior bater nele”.

O interrogado ainda desmentiu que teria ouvido Cristiana pedir por socorro, algo que Edison alegou em sua versão de que a mulher estava sendo estuprada por Daniel.

“Embora estivesse dentro da casa, afirma que em nenhum momento ouviu Cristiana chamar por socorro, sendo que ela foi responsável por chamar o interrogado na parte superior da casa e ela disse que o ‘moleque estava tentando mexer nela’, mas que ela não disse nada de estupro”, mostra o relato do interrogatório.

Eduardo também deu mais detalhes sobre os últimos momentos do jogador na casa da família Brittes: “Daniel cuspia sangue e se engasgava, e o interrogado o virou de lado, para se desafogar, e Júnior disse ‘talarico tem que ser capado, esse gambá’, informando que ‘talarico’ é quem mexe com mulher de outro. Que Daniel estava tonto, mas respirava, porém não dizia nada”.

Ainda de acordo com Eduardo, nenhum dos envolvidos foi obrigado por Júnior a entrar no carro, diferentemente da versão dada pelos dois suspeitos não relacionados à família. Ele também foi o primeiro a dar detalhes sobre o momento da morte, já que David William e Igor Kyng afirmaram não ter visto a cena e Júnior preferiu não falar sobre o assunto.

Mais  Ações da PM apreendem 20 veículos e prende três no fim de semana

“Ao parar o carro, Júnior desceu, e os demais também desceram, e Júnior abriu o porta-malas e tirou a própria camiseta e segurou Daniel, o puxando pelo cabelo, mas escapou, e então Júnior puxou Daniel pela camiseta, sendo que este caiu sobre Júnior, e este, com as pernas de Daniel ainda dentro do carro, passou a faca no pescoço de Daniel, e este caiu no chão. Que Júnior jogou Daniel no chão e continuou a cortar o pescoço dele, e Daniel tentava gritar, mas não conseguia, e Júnior tentava cortar a cabeça dele e ‘Júnior batia a faca como se cortasse um osso’”, diz o relato do depoimento de Silva.

Por fim, Eduardo confidenciou que Juninho o prometeu que assumiria toda a responsabilidade pelas ações, mas que decidiu se apresentar após ver a repercussão do caso.

Fonte: Yahoo

Sobre este editor

Samuel Azevedo
Samuel Azevedo
Trabalhando para trazer a verdade ao público!

A verdadeira informação é a salvação de uma nação livre de injustiças!

Notícias parecidas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *