Dourados fecha 3,7 mil vagas de emprego em setembro

A cidade de Dourados fechou o mês de setembro com saldo negativo de 3.747 vagas de emprego. Foram 2.085 admissões contra 5.832 demissões durante o período. No mesmo período do ano passado, foram fechados 124 postos de emprego. O setor de serviço foi o que mais demitiu. Foram 341 contratações contra 4,5 mil demissões, um saldo negativo de 4.222 postos. Uma das possíveis causas para que os números do Caged despencassem em saldo negativo na cidade é a demissão em massa feita pela Missão Evangélica Caiuá. A Ong demitiu 4.285 trabalhadores da área de saúde indígena e contratou 100 durante o mês de setembro, reflexo da diminuição de convênios que a entidade possuía no Brasil.

Por causa disso, o mês de Setembro foi o que mais registrou desligamentos do ano, até agora, superando inclusive a variação do período de 12 meses. A variação nas demissões em Dourados também supera a de Mato Grosso do Sul em setembro. O Estado registrou 18.102 admissões, contra 20.747 desligamentos, totalizando 2.645 vagas de trabalho fechadas, contra as 3.747 de Dourados. As informações constam no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego. O município tem (até setembro) um total de 57.040 empregados com carteira assinada, distribuídos em 10,2 mil estabelecimentos.

Já o comércio teve saldo positivo no mês, com a criação de 97 postos de trabalho, mas a variação é negativa se comparado os últimos nove meses, quando foram fechados 226 postos de trabalho. Na comparação com o período de um ano, a cidade de Dourados fechou 3.397 vagas de emprego. Foram contratados 24.204 e demitidos 27.601. Em todo o Estado foram admitidos 239.687 e demitidos 243.056, numa variação de 3.369 desempregos, número menor do que registrou Dourados no mesmo período.

Mais  Mourão se diz 'impressionado' após reunião com cúpula da Petrobras

O setor com maior saldo positivo de emprego, entre janeiro e setembro, é a indústria, com geração de 200 novos postos de trabalho durante o período em Dourados. Hoje o município tem mais de 9,7 mil pessoas empregadas com carteira assinada trabalhando em 750 estabelecimentos industriais instaladas no município.

O setor agropecuário também teve salto positivo nos últimos 9 meses, quando foram criadas 117 novas vagas de emprego. Todos os outros demais setores registraram saldo negativo. É o caso da construção civil com 59 postos de trabalho fechados e o comércio com 117 vagas de emprego encerradas, por exemplo.

No Estado, o setor de serviços foi o que mais impulsionou o resultado negativo, com fechamento de 3.722 postos de trabalho. MS havia fechado o mês de agosto com saldo positivo de 1.206 vagas de trabalho. Foram 19.448 contratações contra 18.242 demissões no oitavo mês do ano. No acumulado do ano o saldo é de 6.824 postos de trabalho, enquanto nos últimos 12 meses o saldo também negativo, com 1.884 rescisões de trabalho.

Indústria

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, registrou saldo positivo de 2.722 novos postos de trabalho no período de janeiro a setembro deste ano, resultante de 44.386 contratações e 41.664 demissões, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. Além disso, somente em setembro, o saldo positivo é de 575 vagas, resultado de 4.524 contratações e 3.949 demissões.

Segundo o presidente da Fiems, Sérgio Longen, em termos de contratação de trabalhadores, o número de vagas abertas pela indústria já é significativo em nível de Brasil. “Muitas pessoas podem pensar que mais de 2,7 mil vagas diretas no setor em nove meses não é grande coisa, mas é sim muito significativo, até porque Mato Grosso do Sul lidera no ranking nacional da contratação na indústria em um ano de crise”, analisou.

Mais  Atalho de Bolsonaro para a Previdência pode penalizar quem ganha menos

Ele ressalta que esse avanço na abertura de vagas pelo setor industrial é um trabalho que também deve ser levada em consideração a parceria junto ao Banco do Brasil. “Estamos falando hoje de praticamente R$ 2,4 bilhões de liberação de recursos em 2018 e metade desse valor é para o setor empresarial, o que mostra a pujança do Estado e a consolidação de um importante setor da nossa economia que é a indústria”, afirmou.

Brasil

Em âmbito nacional milhares de brasileiros saíram da fila do desemprego em setembro. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que houve a criação de 137,3 mil postos de trabalho, o melhor resultado para o mês em cinco anos. Na comparação com agosto, houve aumento de 0,36% na criação de postos de trabalho com carteira assinada. No acumulado do ano, o País gerou mais de 719 mil vagas, número 1,9% maior que o de igual período de 2017.

Fonte: Dourados Agora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *