ter. fev 19th, 2019

Nova Unei deve ser construída em área de sitioca

Depois de quatro anos de discussão, foi definido o local para a construção da nova Unidade Educacional de Internação (Unei) masculina de Dourados. A Prefeitura de Dourados escolheu doar ao Estado uma área localizada na Ouro Fino, que até pouco tempo era denominada como sitioca, mas com a ampliação do perímetro urbano deixou de ser zona rural. Projeto para doação da área foi aprovado na segunda-feira, na Câmara Municipal, pela maioria dos vereadores.

Desde 2014 existe recurso de R$ 7 milhões, do Ministério da Justiça, para a construção da nova sede. A atual, localizada no jardim Laranja Doce, não comporta receber mais internos e a estrutura dificulta a aplicação das medidas socioeducativas. Agora, a nova Unei deverá migrar para as proximidades da Embrapa Agropecuária Oeste, na BR-163, saída para Caarapó, região que em breve vai inaugurar a indústria de processamento de soja e refinaria de óleo de soja da Coamo Agroindustrial Cooperativa. O empreendimento de R$ 650 milhões deve atrair outras empresas e desenvolver aquela região.

Antes de uma reforma em 2014 eram três internos para cada dormitório na Unei; agora passam de seis. No local foi ampliado o número de camas, mas toda a estrutura ainda é para metade dos internos. Os jovens que vão para lá não conseguem utilizar sequer o refeitório da unidade, que não tem capacidade para receber o número de reeducandos.

Escolher um local para abrigar a nova Unei sempre foi motivo de discussão e desta vez não foi diferente na Câmara. O vereador Elias Ishy chegou a pedir vista, para melhor examinar o processo antes de votar, e o vereador Marçal Filho cobrou a apresentação de outros locais para construir a unidade. Tiveram o apoio de Alan Guedes, Sergio Nogueira e Lia Nogueira, para adiar a votação, mas os demais parlamentares votaram pela tramitação do projeto.

Mais  Délia anuncia fim da carreira política e Barbosinha se coloca como candidato

Já durante a votação de aprovação da Unei na Ouro Fino, apenas Elias Ishy e Marçal Filho foram contra. Por ser presidente da Câmara, Daniela Hall não votou. Os parlamentares contrários à aprovação justificaram a importância de construir uma nova sede, no entanto, salientaram que poderia discutir melhor uma nova área. E caso a prefeitura não tivesse um espaço mais adequado, distante de residências, que fizesse a proposta de troca de área, como ocorreu na feira livre do Jardim São Pedro. O local, uma chácara, pertencia a uma pessoa física, que aceitou trocar o espaço por terrenos da prefeitura.

O projeto vai para segunda votação, na próxima segunda-feira na Câmara, e assim que aprovado pela maioria dos parlamentares, novamente, seguirá para ser sancionado pela prefeita Délia Razuk.

Nova sede

A nova sede é necessária para atender ao que recomenda a Legislação e faz parte do Plano Estratégico do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) e Secretaria de Direitos Humanos. O juiz da Vara da Infância e Juventude de Dourados, Zaloar Murat Martins, há anos vem alertando que a atual Unei se transformou num “depósito de adolescentes”. Segundo ele, são feitos vários pedidos de vagas para Dourados e a maioria é indeferido por falta de espaço.

Por ser uma cidade polo, Dourados acaba assumindo a responsabilidade de atender toda a região em uma série de serviços, que vai desde a saúde, a educação a até o encarceramento de pessoas. Quando foi discutido a implantação da nova Unei, há 4 anos, o projeto previa inicialmente a construção de uma estrutura para 90 menores, sendo 70 definitivos e 20 provisórios.

Fonte: Dourados Agora

Sobre este editor

Samuel Azevedo
Samuel Azevedo
Trabalhando para trazer a verdade ao público!

A verdadeira informação é a salvação de uma nação livre de injustiças!
Mais  Délia anuncia fim da carreira política e Barbosinha se coloca como candidato
Minhas últimas notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *