qui. fev 21st, 2019

Rafael Ilha diz que entrou nas drogas por curiosidade e que terá uma série documental

Vencedor da última edição de A Fazenda, Rafael Ilha, 45, afirmou nesta sexta-feira (1°) que será produzida uma série documental sobre sua vida, com previsão de estreia para março no PlayPlus, plataforma de conteúdo on demand da Record.

“Vai para o lado da superação. Desde a época do Polegar até ser vencedor de A Fazenda”, disse o músico durante participação no programa Pânico, na rádio Jovem Pan. “Superação das drogas e de tudo que passei da minha carreira. Dos 13 anos de dependência química que foram superados e até de coisas que não acreditava. Estive seis meses como morador de rua devido à dependência química.”

O músico, porém, não deu mais detalhes de como será a produção da série documental. Procurada, a PlayPlus também não se manifestou até a publicação deste texto.

Ainda no programa Pânico, Rafael Ilha não quis comentar sobre o dinheiro que recebeu ao vencer o reality da Record – ele recebeu R$ 1,5 milhão. Evandro Santo, o Christian Pior, que também participou de A Fazenda, mas terminou em quarto lugar, afirmou que o ex-Polegar havia lhe emprestado R$ 100 mil.

“Ele me emprestou cem mil. Falei: ‘Te pago quando?’ Ai ele falou: ‘Brincadeira é um presente para você porque você me ajudou’. Ganhei cem mil dele”, disse o humorista. “Se fosse dar para todo muno que me pedisse dinheiro, já teria acabado”, brincou Ilha.

Rafael Ilha disse ainda que Santo tem coração bom e disse que isso acabou lhe prejudicando no reality da Record. “Era para estar na final eu, ele e a Nadja”, diz Ilha.

O músico também foi questionado sobre a forma como os demais participantes lhe trataram na casa, relembrando seu passado. “Sinceramente, sabia que iam mexer com meu passado, com situações que eu vivi, mas não achava que as pessoas seriam burras e cruéis de expor isso em um programa como A Fazenda. Brasileiro está cansado de maldade, de safadeza. Brasileiro está cansado disso.”

Rafael Ilha virou celebridade ainda criança, como garoto-propaganda, e se tornou membro do Polegar em um concurso da empresa Promoart, de Gugu Liberato. Sua saída da banda, após três anos, coincidiu com o início dos problemas com drogas: foi internado para reabilitação pela primeira vez aos 15 anos e preso cerca de 10 anos depois, após uma tentativa de roubo em um cruzamento na zona sul de São Paulo.

“Comecei a trabalhar com nove anos fazendo comercias de TV. Quando entreguei para o Polegar tinha 12 anos e começamos a bombar um ano depois, quando tinha 13. Não entrei na droga por causa da parte artística, entrei por curiosidade e me tornei um dependente. Experimentei a cocaína em 2015, e tive a minha primeira internação em uma clínica psiquiátrica. A primeira droga que usei foi aos 12 e 13 anos, e foi maconha. Mas, depois, parei de usar”, relembrou Ilha no Pânico.

Ele contou ainda que quando estava em A Fazenda pensou em tocar o sino várias vezes. “Pensei. O problema não eram as pessoas que estavam no jogo, mas a saudade da família que estava aqui fora. Principalmente da minha pequenininha. […] Chorava igual bezerrinho. Pelo menos umas quatro vezes pensei em tocar o sino.”

Ele contou ainda que entrou no reality focado. “Vim aqui para jogar. Sou uma pessoa simples, porque já vivi na rua para sustentar meu vício e me envolvi com tráfico. Não ganhava dinheiro, ganhava droga.” O músico também relembrou a ajuda que recebeu de Sonia Abrão e família.

“Sonia Abrão me ajudou no final de 2009, quando tive uma crise de depressão e cortei meu pescoço. Fiquei dois meses internado, e ela apareceu lá e conversou comigo. Ela falou que Elias pediu para ela conversar comigo e, depois disso, fui trabalhar como eles como produtor.” Em 2015, a jornalista publicou o livro “As Pedras do meu Caminho’ contando a história do ex-Polegar.

Fonte: Yahoo